Blog

Como funciona a telemedicina?

novembro 26, 2019

A telemedicina não começou apenas com a chegada da internet, há relatos da sua prática ainda na Idade Média. Há o relato de que um médico local ficou preso na margem oposta do rio que banhava seu povoado e então repassava a informação para um agente comunitário ajudar a população.

Imagem relacionada

Atualmente, a telemedicina funciona por meio de uma combinação de equipamentos digitais, softwares, plataforma, internet e especialistas qualificados.

Um profissional de saúde treinado, como um técnico de enfermagem ou de radiologia, pode realizar um exame de diagnóstico por imagem, como eletrocardiograma ou radiografia.

Para isso, usa um aparelho capaz de gerar imagens digitais em conexão direta ou indireta com o computador, onde um software é usado para a visualização dos resultados.

Também a partir do computador, é possível compartilhar as informações em uma plataforma de telemedicina.

Ela é responsável pelo armazenamento em nuvem (ou seja, sem guarda física de arquivos) dos dados colhidos durante o exame, além de informações clínicas do paciente.

No fundo, a telemedicina abrange toda a prática médica realizada à distância, independente do instrumento utilizado para essa relação. 

As frentes atuais da telemedicina são:

  • Teleassistência: O foco da comunicação está no paciente e no seu bem-estar. Por meio dela, o paciente é monitorado em seu próprio domicílio ou em um centro de saúde local por um médico ou qualquer outro profissional de saúde que se comunica com outros profissionais à distância. Para aumentar a eficiência do sistema e garantir uma investigação médica acurada são utilizados diversos equipamentos que avaliam parâmetros clínicos e enviam esses dados, geralmente via internet, para os especialistas à distância.
  • Teleconsulta: Pode ser feita entre médicos, quando um clínico geral busca assistência de um especialista, como uma segunda opinião no diagnóstico, um medicamento mais indicado, ou até mesmo orientações ao vivo sobre a realização de um procedimento. Outra forma, é a consulta online, feita diretamente entre médicos e pacientes. No Brasil, a prática da teleconsulta entre médico e paciente ainda está sendo viabilizada.
  • Teleducação: Já é aplicada em diferentes setores, mas no caso da medicina, o foco é capacitar o profissional de saúde que está longe dos grandes centros, buscando atualizá-lo e prepará-lo para diversas situações da prática médica. Para atingir esse objetivo, a teleducação voltada à telemedicina utiliza-se de videoconferências, aulas, palestras, e-learning e programas de reciclagem. É uma forma de levar conhecimento para melhorar a realização de exames e dar qualidade ao atendimento dos pacientes.
  • Emissão de laudos à distância: Este é um dos ramos que mais cresce no Brasil. Por meio dessa tecnologia, o exame pode ser realizado em qualquer lugar e laudado por especialistas conectados à internet. Dessa forma, é possível ter acesso facilitado aos melhores médicos do país.

    Além disso, a telemedicina pode ser utilizada para:

  • Consulta e troca de informações entre instituições de saúde;
  • Informação de resultados de exames laboratoriais e de imagens;
  • Discussão de casos clínicos, principalmente relacionados a doenças raras;
  • Cirurgia robótica;
  • Assistência a pacientes crônicos, gestantes de alto risco e idosos.

Fonte: https://telemedicinamorsch.com.br/blog/telemedicina

Fonte 2: https://portaltelemedicina.com.br/blog/telemedicina-o-que-e-e-como-funciona#:~:targetText=A%20telemedicina%20%C3%A9%20um%20processo,apoio%20para%20a%20medicina%20tradicional.

Baixe o nosso app 📱

E carregue a Platformed junto, no seu Smartphone.